Recentemente a gigante Facebook Inc. anunciou a troca do nome da empresa por trás do Facebook, Whatsapp e Instagram para Meta, com foco no metaverso, algo que Mark Zuckerberg já vem dando indícios há muitos anos que estava se aproximando deste setor. Mas você sabe o que é Metaverso?

O que é Metaverso?

O termo Metaverso foi originalmente cunhado no romance “Snow Crash” de Neal Stephenson, em 1992. Ele descreve um universo virtual contínuo onde usuários têm interações uns com os outros com avatares digitais. As interações nestes espaços compartilhados e de forma online, servem não apenas para interação social, mas também para jogos, trabalhos, entre outros.

O Cinema já proporcionou algumas ficções envolvendo o Metaverso, como o filme de 2018, Jogador nº 1. Em que o usuário se conectava a uma realidade virtual por meio de dispositivos para participar de um jogo.

Já Matrix, que é a principal referência cinematográfica de uma ficção sobre o conceito entre realidade virtual e simulação, aborda uma batalha entre Máquinas e Humanos, onde as máquinas evoluem ao ponto de ter consciência própria e começam a utilizar seres humanos como um tipo de bateria para as máquinas.

Já uma tentativa no mundo dos jogos virtuais, o mais famoso, mas sem interação direta com o real, é o jogo Second Life de 2003, onde usuários emularam o mundo real com a ajuda de Avatares. O jogo criou tantos entusiastas que chegou a ter imóveis virtuais, empregos, marketplace e até moeda própria, o Linden Dollar.

Já o verdadeiro Metaverso, que está em processo de criação, é algo que pretende envolver toda a sociedade, ir além do mundo virtual ao se comunicar com o real, não ser apenas uma experiência isolada em um dos universos, mas ser uma experiência mista e única.

Como funcionará o metaverso?

Será a interação dos dados que hoje pesquisamos na internet, mas ao alcance de um visor, como um óculos, com adição da visão física enquanto interagimos com o mundo real.

Um espaço virtual compartilhado e coletivo, criado pela convergência da realidade física virtualmente aprimorada e um espaço virtual fisicamente persistente, com a soma de todos os mundos virtuais, realidade aumentada e internet.

O que é blockchain?

Blockchain é a tecnologia lançada juntamente com o Bitcoin e que permite o funcionamento do mesmo, porém, não existe apenas um blockchain, cada rede de criptomoedas possui sua própria, como Ethereum, Solana, Cardano, etc.

A blockchain é um espaço composto por pedaços de códigos gerados online e que carregam informações conectadas, como blocos de dados que formam uma corrente, daí vem o nome blockchain ou, em tradução literal, “corrente de blocos”.

A tecnologia que envolve a blockchain permite com que todas as transações de moedas digitais realizadas sejam registradas de modo confiável. Em outras palavras, é ela que valida cada cripto e dá autenticidade a todas as movimentações.

Dentre as informações registradas nesse espaço, estão: Quantia de moedas transacionadas, quem enviou, quem recebeu, quando a transação foi feita, em qual lugar da blockchain a transação foi registrada.

Lembrando que os dados de tanto quem enviou quanto de quem recebeu as criptos são, em sua maioria, anônimos. Esses registros, portanto, podem ser apenas um código identificador.

Importância do blockchain na construção do metaverso

Como o Metaverso será uma experiência mista entre o real e digital, a blockchain pode ter diversos usos de grande importância para esse novo ecossistema. Demandas para entrega de identidades que não necessitam de permissões, serviços financeiros e câmbio rápido entre moedas e produtos.

Além de toda a informação do metaverso, que pode ser armazenada em blockchain, de forma criptografada, sendo assim ter privacidade e segurança para disponibilizar para milhões, senão bilhões de usuários.

Como tanto a blockchain e o metaverso estão em constante evolução, existem inúmeras possibilidades do que pode ainda surgir no futuro e seus casos de usos, mas tudo indica que é um casamento perfeito entre ambas tecnologias. Tendo até a possibilidade das criptomoedas serem a única forma de pagamento de um determinado metaverso.

O que é NFT?

Um token não fungível (NFT) é um tipo de token criptográfico que representa algo único, ou seja, que não tem um valor predefinido, mas sim algo subjetivo. Em outras palavras, não pode ser trocado, segundo sua especificação individual, da mesma forma que outras criptomoedas são trocadas.

Concept of NFT, non-fungible tokens, Digital items for crypto art, gaming, collectible with blockchain technology on dark background, vector illustration

O protocolo NFT permite o registro detalhado de propriedade e histórico, comprovando sua diferenciação, origem e outros aspectos pertinentes.

As aplicabilidades deste novo tipo de token têm se mostrado infinitas, é algo que está apenas começando, e os empreendedores determinarão suas possibilidades. Mas um mercado que imediatamente já se posicionou é o mercado cultural. Artistas de todo o mundo estão postando suas obras em plataforma especializadas e movimentando grandes somas de recursos, obras como arte digital, cards colecionáveis, itens internos de jogos virtuais, terrenos virtuais e etc.

Metaverso e NFTs

Os NFTs terão extrema importância dentro do metaverso, proporcionando aos usuários posse completa sobre seus bens digitais, imagine adquirir roupas, objetos, até terrenos que através de uma simples assinatura de blockchain, identifique que você é o proprietário de determinado item digital.


Isso proporciona inclusive um vasto potencial de mercado dentro do metaverso, obras digitais, músicas e tudo que você imaginar. Hoje jogos em blockchain como Decentraland, já negociam terrenos digitais através de NFTs, nada impede que terrenos digitais do metaverso também sejam negociados e seus valores irão oscilar como um terreno real, dependendo de sua metragem, localização, demanda e oferta.

NFTs de roupas, ou skins como são conhecidas em jogos, serão muito utilizadas para deixar seu Avatar único, da maneira que você quiser. Empresas de confecção famosas, poderão criar coleções de peças limitadas em NFTs. Incrível não?

Privacidade no Metaverso

A privacidade no metaverso ainda é um dilema, já que esbarra entre dois modelos em curso, centralizado e descentralizado. No exemplo da Meta (Facebook), não foi mencionado nenhuma vez a palavra privacidade em seu texto oficial da Meta. O que gera preocupação pelos usuários, pois no passado já houveram vazamento de documentos internos, como em 2016.

Mais um motivo para blockchains descentralizadas desenvolverem seus metaversos, já que não dependem de nenhum ponto central de controle, censura e dependente de órgãos regulamentares de governos. Sendo assim, muito mais suscetíveis a uma total privacidade.

Conclusão

Tanto a blockchain, quanto esse novo setor que está surgindo focado em metaverso ainda tem muito o que evoluir e ninguém pode prever exatamente como será sua “forma” final, mas que a tecnologia blockchain e criptomoedas irão fazer parte do metaverso, isso é uma certeza. Ambos irão se complementar para criar um futuro importante e disruptivo para o mundo.

Vale a pena ficar de olho e tatear esse mercado, pois estará repleto de oportunidades nos próximos anos, assim como o DeFi (Finanças Descentralizadas) tiveram seu hype em 2020, os NFTs em 2021, o metaverso pode ser o próximo a ter interesse massivo dos cripto usuários e de fora do setor também, já que o metaverso pode impactar quem ainda não está posicionado em criptomoedas.