O que é Nano?

Nano é uma criptomoeda descentralizada, sem taxas, sustentável e incrivelmente rápida, considerada como parte da terceira geração das criptomoedas. Ela é uma DAG (Directed Acyclic Graph), desenvolvida para ser simples e resolver a insuficiência existente de outras criptomoedas.

A Nano possui uma tecnologia única de blockchain, utilizou uma estratégia de distribuição inovadora e quer romper o conceito convencional de criptomoeda. É uma criptomoedas que entrega o que se propõe com muita eficiência: Ser uma moeda para o dia a dia com muita simplicidade para o usuário.

Uma moeda global que não requer grandes equipamentos para manter sua rede, sendo energeticamente econômica, porém muito escalável conforme o aumento desse hardware, aumentando sua capacidade de transações por segundo, sua segurança e sua descentralização.

Como surgiu a Nano?

O desenvolvimento inicial da ficou todo por conta de uma única pessoa, o desenvolvedor Colin LeMahieu, que começou em 2014 a desenvolver uma nova arquitetura de rede distribuída chamada de Block-Lattice. Colin se preocupou em solucionar três dos grandes problemas do Bitcoin e outras criptomoedas da época: Gasto energético, velocidade de transferência e custo das taxas.

Em 24 de outubro de 2015, um ano e meio após estar desenvolvendo a Block-Lattice (que falaremos mais detalhadamente no futuro) foi anunciado para o mundo o desenvolvimento da Nano, que na época ainda se chamava RaiBlocks (XRB), falando sobre a vantagem de ser uma moeda sem taxas e altamente escalável.

Em 31 de janeiro de 2018, para simplificar a pronúncia do nome e adesão, já que seu objetivo é ser uma moeda intuitiva, de fácil uso, sem taxas, veloz, aberta, e acessível para todos, teve seu nome trocado para Nano (NANO).

Colin LeMahieu, desenvolveu a Nano em seu tempo livre do seu trabalho como desenvolvedor de software e a desenvolveu do zero, diferente de outras criptomoedas como Litecoin e Bitcoin Cash que são forks do Bitcoin. Nano hoje é uma das criptomoedas mais antigas, possuindo algumas conquistas, como sendo a primeira criptomoedas sem taxas e a primeira criptomoeda a utilizar a estrutura DAG (Directed Acyclic Graph).

Desde 2017, a Nano teve a adesão de diversos novos desenvolvedores da comunidade para seu protocolo e mantém-se atualizando constantemente para melhorias. E apenas em 12 de dezembro de 2017, Colin anunciou que trabalharia em tempo integral dedicado a Nano.

Como funciona a Nano?

A Nano é uma criptomoeda DAG (Directed Acyclic Graph), isso quer dizer que suas transações são assíncronas, isso significa que uma conta consegue enviar para outra e o remetente não precisa esperar por uma resposta antes de realizar outras tarefas.

As transações são verificadas e passam por uma ferramenta anti-spam, que consome muito pouco poder de processamento (PoW, Proof of Work), verificando apenas alguns requisitos, como se a transação única já foi feita antes, se o bloco é assinado pelo proprietário da conta, se há um bloco de abertura da conta e se a transação é válida, seguindo alguns critérios.

Interessante ressaltar que esse pouco poder de processamento da Nano resulta em um baixo custo energético. Apenas a fins comparativos, uma única transação de Bitcoin utiliza em torno de 651.080,00 Wh, que são o suficiente para mais de 6 milhões de transações da Nano, já que uma única transação da Nano utiliza 0,11 Wh.


A Nano usa um algoritmo de consenso para garantir que os Nodes de sua rede permaneçam em sincronia para evitar que os usuários violem as regras do protocolo, como gasto duplo. Mais especificamente, a Nano utiliza o consenso de Prova de Participação Delegada (DPoS, Delegated Proof-of-Stake), chamada de Votação Representativa Aberta (ORV, Open Representative Voting).

Nesse sistema, os Nodes são atribuídos a um “peso de voto” com base em seus saldos de contas a que eles foram delegados. Qualquer carteira pode escolher o seu representante para delegar suas Nanos.

Quando um Node tem peso de voto suficiente, ele é designado como Representante Principal e pode votar nas transações proporcionalmente aos fundos em sua conta e aqueles alocados a ela.

Os representantes/nodes não possuem nenhum incentivo financeiro direto como em outras criptomoedas que recebem recompensas. O incentivo em executar um Node é indireto, aqui alguns incentivos:

– Contribuir para a descentralização, robustez e saúde da Rede.

– Empresas que desejam cortar custos com taxas de cartão de crédito e débito.

–  Apoiar a rede para que você possa tirar proveito de seus benefícios (0 taxas de transação, transações instantâneas, etc).

– Incentivos ideológicos, políticos e pessoais, como fornecer às pessoas acesso a finanças globais.

O que é Block Lattice?

Block Lattice é uma nova arquitetura de dados para blockchain. Seu funcionamento difere de blockchains convencionais que são únicas para toda a rede, onde na Block Lattice cada usuário tem sua própria blockchain, sem a necessidade de esperar pelo resto da rede para atualizar sua conta.



Como cada conta tem seu próprio blockchain (account-chain), que contém o histórico de transações/saldo da conta. Uma Account-Chain só pode ser atualizada pelo proprietário da conta, o que significa que cada Account-Chain pode ser atualizada imediatamente e de forma assíncrona do resto da estrutura do bloco. E é isto que possibilita as transações rápidas que são entregues pela Nano.

Uma vez que os bloqueios só podem ser adicionados pelo proprietário de cada Account-Chain, a transferência de fundos de uma conta para outra requer duas transações: uma transação de envio deduzindo o valor do saldo do remetente e uma transação de recebimento adicionando o valor ao saldo da conta de recebimento.

Quais são as vantagens?

A Nano possui diversas vantagens, vamos falar sobre cada uma delas:

Transferência – É a criptomoedas com maior velocidade de transferência existente até o momento. Normalmente uma transferência em duas carteiras acontece em milésimos de segundo.

Taxas – Ou melhor, sem taxas! As transferências de Nano não possuem taxas, se o usuário A enviar 10 NANO para o usuário B, o mesmo irá receber exatamente 10 NANO. Vale lembrar que taxas de serviços como negociação ou retirada de exchanges, não são taxas da rede da Nano e sim do prestador de serviço.

Sustentável – Por ter um gasto energético baixíssimo, a Nano é uma criptomoeda que se encaixa no caminho que a tecnologia global está trilhando.

Simples – Esta característica é excelente para uma adoção em massa, sua simplicidade possibilita que qualquer pessoa, até sem conhecimento em criptomoedas, tenha mais facilidade em utilizá-la.

Quais são os riscos da Nano?

Os riscos da Nano, são os mesmos riscos que outras criptomoedas podem compartilhar, como a alta volatilidade de seu valor, problemas de regulamentadores, falta de adesão, migração de seus portadores por novas tecnologias que possam surgir, etc.

Sobre sua rede, até hoje não houve uma falha no protocolo que causasse um usuário a perder seus fundos, sendo uma rede muito segura, isso se o usuário mantém suas Nanos armazenadas de maneira correta e segura.

Houve roubo em serviços terceiros no passado, uma exchange (BitGrail) teve seus fundos roubados, o que não é culpa da Nano, mas trás consigo a má fama por desinformação dos usuários que acham que foi uma falha em seu protocolo.

Qual o fornecimento da Nano?

Antes de falar sobre o fornecimento, é interessante salientar como foi a distribuição do mesmo. A Nano foi disponibilizada gratuitamente por meio de um sistema de distribuição de faucets (torneira, onde o usuário recebe algumas quantias) com base em captchas que terminou em outubro de 2017.

Ao total foram distribuídos gratuitamente 126,248,289 NANO através do Faucet. Outras 7,000,000 de Nanos ficaram para o fundo de desenvolvimento, conhecido como Nano Foundation. Ao encerramento do Faucet, foram queimadas 207,034,069 NANO que não tinham sido distribuídas. Ao final restou 133.248.297 NANO, que é o que está em circulação até os dias de hoje.

Sendo assim, todo o fornecimento já está no mercado, a Nano não possui mineração ou uma nova forma de geração de unidades.

Como comprar Nano?

Você pode comprar NANO em qualquer exchange que possua essa criptomoeda em seu portfólio. E como a Monnos é a exchange que possui o maior portfólio de criptomoedas do Brasil, você pode adquirir as suas Nanos conosco.

Para isso, basta você baixar o nosso aplicativo, disponível na App Store ou no Google Play, e fazer o seu primeiro depósito. Depois, é só adquirir NANO e o montante que deseja de uma maneira muito fácil.

Por termos o processo mais simplificado do mercado, as compras e vendas de criptomoedas na Monnos são bem rápidas: você escolhe a moeda que você tem sob custódia e também a que você quer comprar, e pronto.

Todo o restante do processo é a ferramenta que irá fazer para você!

Como e qual carteira usar?

Para armazenar as suas Nanos em segurança, existem diversas carteiras para esta função, vamos listar algumas:

Natrium – Uma carteira mobile para Android e iOS, sendo a mais conhecida e preferida da comunidade por ser uma carteira simples e de fácil uso.

Nault – Carteira para Web, Windows, Mac ou Linux, porém é possível utilizar em mobile através dos navegadores. É uma carteira de fácil uso e que possui muitas ferramentas mais avançadas. É a única que permite multi assinatura e é a única carteira que permite utilização da hardwallet Ledger (Que a propósito é a única hardwallet até o momento que suporta Nano).

Exodus – Pode ser usada em Android, iOS, Windows, Mac ou Linux. Carteira bem tradicional no universo de criptoativos, por seu suporte de multi ativos. Esta carteira não possui código aberto.

Trust Wallet – Carteira para Android e iOS, também com suporte para multi ativos e muito conhecida. Esta carteira possui um contra em relação às outras, não é possível trocar (até o momento) o representante de suas Nanos.

Caso queira saber mais detalhes sobre essas e outras carteiras, a comunidade da Nano desenvolveu um excelente guia listando suas características. Você pode acessar aqui.

Conclusão

É uma criptomoeda atrativa, inovadora e simples.

Com tudo que foi descrito acima, percebe-se que a Nano quer solucionar problemas encontrados em outras criptomoedas que possuem altas taxas, alta latência em suas transferências e alto gasto energético, isso de uma maneira simples e eficaz.

Propõe-se ser um dinheiro global do mundo moderno de uma maneira descentralizada e segura para que cada usuário consiga com agilidade transferir quantias desejadas, independente de onde estiver de uma maneira simples.

Qual será o futuro da Nano? Não temos como prever, mas pelo que ela entrega, e continuar seu desenvolvimento, se sua adoção continuar crescente, ela será utilizada cada vez mais, sendo aceita em serviços e comércios, que consequentemente por ser escassa, seu preço tende a elevar.