Alguma vez você já confundiu os termos criptomoeda e token, achando, inclusive, que ambos se tratavam da mesma coisa? Então muito cuidado, pois uma coisa não é a mesma coisa que a outra, conforme o conteúdo que você pode conferir neste artigo.

Apenas para adiantar e você já ficar por dentro do assunto, criptomoedas são protocolos que possuem sua própria blockchain (como é o caso do bitcoin, nano, dash, etc.), enquanto os tokens são criptos que rodam em cima de protocolos blockchains que já existem.

Em outras palavras, por mais que o token resida em blockchains e utilize a criptografia em seu mecanismo, ele, na verdade, funciona como o registro de um ativo em formato digital.

Para que esse conceito fique mais claro, acompanhe a leitura e entenda mais sobre o que é e qual a importância do token no universo das moedas digitais.

O que é token?

A palavra “token”, quando traduzida de forma literal, significa “passe”. Mas, afinal, o que isso realmente quer dizer? 

Sabe quando você vai utilizar um serviço do seu banco pela internet ou por um aplicativo e um código numérico precisa ser informado para que a ação possa ser completada? Pois então, é esse código que é o token do qual estamos falando.

Apesar do token estar relacionado principalmente com o quesito segurança, ele também pode estar atrelado ao mercado financeiro, principalmente o que envolve criptomoedas. Inclusive, no mundo cripto, quando se fala em token, está se referindo a ativos criados dentro de diferentes protocolos de blockchain, usados usualmente para levantar fundos para um projeto 一 como é o caso do MNS (token da Monnos que foi criado dentro da rede da Ethereum) 一, dentre outras aplicações.

Mas, quanto a isso, você saberá um pouco mais na sequência.

Quais os tipos de token?

Existem dois tipos de token: o que te dá um direito de acesso e o que representa um ativo.

Veja abaixo a diferença entre eles.

Direito de acesso

Quando você usa um token para proteger a sua ação em ambientes digitais, ele é chamado de token de direito de acesso. Com ele, você consegue realizar um serviço com segurança do início ao fim, a partir de códigos criados pelo dispositivo.

Para se ter noção, esse tipo de token não é apenas aqueles números que o seu banco solicita, mas também o código de verificação que você recebe por SMS quando está criando uma conta em algum site ou o link de recuperação de senha que você recebe em seu e-mail.

Ativo

Quando o token é usado dentro de um contexto financeiro, ele toma a função de ativo. Isso quer dizer que ele surgiu sem a necessidade de mineração 一 mas só se ele for feito via hardware. 

Como existem diferentes tipos de mineração, como a via staking, minting e pré-programação de distribuição que simula mineração, nem todo token já nasce com todas as suas unidades pré-criadas. Logo, nem sempre ele pode ser inflacionário ou deflacionário conforme for programado.

No entanto, por possuir o aspecto técnico da fungibilidade, os tokens possuem o mesmo valor, independentemente da quantidade de vezes que foram replicados. E isso tem grande importância dentro da blockchain.

Para que serve o token?

Agora que você já sabe a diferença entre os tipos de token, vamos focar em apenas um deles: o ativo. 

No mundo cripto, o token pode viabilizar contratos, funcionar como algo fundamental na hora de rodar protocolos, ser um ativo de uma empresa, dentre muitas outras funções.

Em outras palavras, ele representa um ativo real que, neste momento, está digitalizado e que pode ser transacionado de maneira livre entre os seus usuários sem depender de uma empresa para continuar existindo.

Como funciona um token?

Para entender como funciona um token, primeiramente você precisa entender como funciona o sistema de criptomoedas.

As criptomoedas, como bitcoin ou litecoin, são usadas como moedas fiduciárias (isto é, que existem no mundo real) para a aquisição de bens ou serviços. Todas as transações feitas com elas são registradas dentro da blockchain.

Supondo que você precise gerar algum tipo de contrato na blockchain para que sua compra seja efetuada da maneira correta, esse contrato é feito a partir dos tokens, que nada mais são do que itens com a função de “poder de propriedade”.  

Ou seja, apesar de serem uma classe de criptoativos, os tokens são totalmente dependentes das criptomoedas, pois, dessa forma, aproveitam toda a flexibilidade, segurança e transparência entre as transações dos ativos.

Hoje, mais de 70% dos tokens existem dentro da rede Ethereum, devido à facilidade da programação dos contratos.

Qual a diferença entre token e a criptomoeda?

Em primeiro lugar, é preciso entender que os tokens são criados para serem distribuídos entre as pessoas como uma promessa de que vão valer alguma coisa num futuro próximo. 

Conforme explicamos no último tópico, os tokens são dependentes de outras criptomoedas que já são existentes, uma vez que são ativos digitais utilizados justamente para financiar a criação de novas criptos.

Ainda que sejam dois itens distintos, por serem bastante demandados e valorizados, eles podem competir em alguns nichos do mercado. E aí, vale uma tirei boa pesquisada para ver qual está valendo mais. 

Qual a vantagem do token?

Um token possui diversas vantagens. Conheça algumas delas:

Transparente

Por conta de sua tecnologia, a blockchain permite que você tenha total controle sobre quais endereços da rede controla os seus tokens.

Democrático

Muitas vezes, um token é emitido por um valor unitário muito baixo, o que aumenta o acesso de investidores de diferentes perfis.

Eficiente

Para manusear os tokens, você não precisa de intermediários, o que reduz o custo da operação e aumenta o retorno do investidor.

Seguro

Como é o próprio usuário que faz a guarda dos seus tokens, ele não tem a obrigatoriedade de deixá-los sob uma determinada custódia, o que gera maior segurança de como estão sendo manuseados.

O que é NFTs?

O NFT (non-fungible token ou token não-fungível) é um token criptográfico atrelado a um único bem de valor não mensurável. 

Assim como já explicamos no início deste artigo sobre a fungibilidade de um ativo, o NFT funciona de maneira contrária, já que ele está ligado a um item original e exclusivo no meio digital. Ou seja, por ser único no mundo, esse produto gera escassez e abre espaço no mercado para colecionadores e investidores que queiram adquiri-lo.

Esse tipo de protocolo permite o registro detalhado de propriedade e histórico, pontos que comprovam o seu valor diferenciado perante os demais. Além disso, por ser novo no mercado, suas funções ainda estão sendo descobertas. 

Para se aprofundar um pouco mais no assunto, acesse o seguinte artigo em nosso blog: O que são NFTs (tokens não-fungíveis)?

Qual o valor de um token?

Um token é desenvolvido por meio de um ciclo, que pode ser definido da seguinte forma:

  1. Criação do token: registro das regras básicas que serão aplicadas sobre aquele contrato, garantindo que todas as condições sejam cumpridas pelas partes envolvidas.
  2. Aquisição do token: esse procedimento se dá de maneira muito simples, pois basta escolher o token que quer comprar e, após ter seus dados verificados, você o recebe. Depois, a plataforma em que aquele item estava armazenado é atualizada.
  3. Transação do token: quando um token não tem mais serventia, você pode transferi-lo para outro investidor através de uma carteira 一 e, por ele ter sido devidamente registrado no início do ciclo, essa transação acontecerá da maneira correta.

Em cada etapa do ciclo, há taxas a serem pagas e, no contexto em que estão inseridos, o processamento das operações que envolvem os tokens são chamados de “gás”. Posto de outra forma, cada vez que você quiser comprar ou vender um token, você precisa arcar com algum “gás”.

No entanto, assim como outros tipos de taxas, elas são variáveis, pois dependem de diversos fatores que influenciam no processo. 

Como comprar e negociar tokens e NFTs

Para adquirir tokens e NFTs você precisa estar devidamente registrado em uma corretora ou, no caso exclusivo das NFTs, fazer parte de marketplaces que abranjam o nicho. Após isso, é hora de estudar e avaliar as condições do mercado.

As transações podem estar regidas sob um contrato minucioso e cheio de regras, como, por exemplo, a venda só pode ser efetuada em uma determinada data ou para um determinado fornecedor. 

Por isso, ler o contrato na íntegra é sempre uma ótima opção para quem quer investir nesse criptoativo.

Conclusão

Mesmo sendo conhecido durante muitos anos apenas como um dispositivo de segurança, hoje sabemos que o token é muito mais que isso 一 inclusive, tem grande importância para o mercado financeiro.

Caracterizado como um ativo digital, o token no mundo cripto tem função de contrato dentro da blockchain, sendo um procedimento transparente e seguro, uma vez que se aproveita das redes já existentes de outras criptomoedas.

Aqui na Monnos, você pode adquirir o MNS token e ganhar diversos benefícios, como aumento no cashback do cartão da Monnos, diminuição das taxas trade e ainda ganhar com a valorização do ativo, crescendo junto com a empresa. Clique aqui para conhecer o programa destinado para aqueles que acumulam MNS tokens.