Bearish

Você talvez já tenha ouvido os termos “mercado de urso”, “bear market” e “bearish”. Não, não se trata de tráfico de animais.

O urso, ao atacar uma presa, costuma jogá-la para baixo, ao contrário do touro, que com os chifres a joga para cima. Esses animais se tornaram jargões muito populares no mercado financeiro em geral, não apenas o de ativos digitais.

O urso está relacionado a baixas ou expectativa de baixa, e o touro está relacionados a altas ou expectativa de alta.

Bear market

Um “bear market”, que em bom português se traduz por “mercado de urso”, é nada mais que um período de baixa – seja de um ativo específico ou do mercado em geral. Por exemplo, caso o Bitcoin atravesse o ano de 2023 cotado em um preço considerado baixo, poderemos dizer que “2023 foi um bear market para o Bitcoin”.

2020 é provavelmente o maior exemplo de bear market da história recente. Várias empresas quebraram, a maioria das ações caíram, o mercado de criptomoedas se retraiu, até o mercado de metais preciosos, como ouro, foi impactado.

Investindo como um urso

Investidores pessimistas são apelidados de “bearish” ou “ursos”

Os ursos podem apostar na queda e lucrar com isso se sua previsão estiver correta. Isso pode ser feito de várias maneiras.

A mais simples é vendendo os ativos para recomprá-los por um preço mais barato no futuro. O risco aqui é que o preço pode subir e, nesse caso, se o urso quiser recomprar os ativos terá que pagar mais caro.

Também é possível pegar o ativo emprestado, vender e recomprar posteriormente. Isso é conhecido como “shortar”. Vamos analisar um exemplo para entender melhor essa estratégia.

Rafael acredita que a cotação do Bitcoin vai cair de 40 mil dólares para 30 mil dólares nos próximos 30 dias. Então, ele faz um contrato com João onde pega dois bitcoins emprestados e promete devolvê-los pagando 100 dólares de juros até o final do mês.

Se Rafael estiver certo em sua previsão, ele vai conseguir vender os dois bitcoins por 40 mil dólares, recompra-los posteriormente por 30 mil, devolver as duas unidades da criptomoeda, pagar os juros e ainda embolsar U$ 19.900,00.

O mercado de opções é outra possibilidade para quem deseja apostar na baixa. Nesse mercado, negocia-se o direito de comprar ou de vender um ativo por um preço pré-determinado em uma data futura.

Imagine um produtor de café que ainda não colheu sua safra. Atualmente, o preço do café é  200 dólares por saca e ele acredita que o preço irá cair para 170 dólares daqui a dois meses, quando for vender seu produto no mercado. Então, ele oferece a pessoas que discordam dele e acreditam que o preço irá subir um acordo em que a transação é efetuada daqui a 60 dias pelo preço pré-determinado de 200 dólares.

 

  • “Pump” é um termo que pode se referir a duas coisas: subida brusca no preço de um ativo ou impulsionamento de um ativo.

  • BTFD vem do inglês "Buy the F*cking Dip". É basicamente uma forma agressiva de recomendação de compra quando o mercado está em queda.

  • Baleia é nada mais do que uma forma de denominar uma pessoa que é dona de uma grande quantia de ativos.

  • TVL

    O Total Value Locked (TVL), ou em português, Valor Total Bloqueado, é a quantidade de fundos que usuários depositaram em uma plataforma DeFi.

  • Day trade é uma estratégia arrojada, consiste em comprar um ativo na baixa e vender na alta no mesmo dia, buscando lucro de curto prazo.

  • MetaMask é uma carteira de criptomoedas que permite aos usuários interagir com aplicações descentralizadas (dapps).

  • O Bull Market é uma condição de mercado onde os preços subiram e tendem a continuar subindo. É um momento de grande otimismo no mercado.

  • Satoshi Nakamoto é o pseudônimo do criador do Bitcoin. Não se sabe se Satoshi é um indivíduo ou um grupo de pessoas.

  • Dump, ou despejo em português, é um termo usado para designar uma queda abrupta no preço de um ativo

  • A sigla UTXO significa Unspent Transaction Output (Transação de Saída Não Gasta) é o saldo o usuário recupera na carteira após uma transação.