Cat Bounce

Cat bounce (“quique do gato”) é o nome dado a pequenas “subidas” no preço dos ativos mesmo que, no panorama geral, estejam se desvalorizando ou enfrentando um mercado em recessão.

A ideia por traz dessa expressão é que mesmo um gato morto “quica” se cair de uma altura grande o suficiente rápido o suficiente. A expressão foi muito usada em Wall Street quando  alguns dos maiores mercados de ações do mundo entraram em colapso em 1987.

Em outras palavras, o termo designa uma recuperação temporária e de curta duração que é seguida pela continuação da tendência de baixa.

Exemplo histórico

Os preços das ações da Cisco Systems atingiram o pico de US$ 82 por ação em março de 2000, antes de cair para US$ 15,81 em março de 2001 durante o colapso da chamada “bolha.com”. A ação chegou a US$ 20,44 em novembro de 2001, mas caiu para US$ 10,48 em setembro do ano seguinte. Em setembro de 2016, as ações da Cisco foram negociadas a US$ 28,47.

Quais são as causas que geram um cat bounce?

Chega um momento em todo mercado em recessão onde investidores questionam se a queda sofrida não já não foi grande demais, estando próxima do máximo que poderia chegar. Ou seja, talvez o “fundo” tenha sido atingido. Aqueles que estavam apostando na baixa começam a repensar sua posição e, enquanto isso, algumas pessoas investem acreditam que a partir de certo ponto o preço “só pode subir”. Todos esses fatores contribuem para um despertar da pressão de compra, mesmo que por um breve período, o que gera a valorização.

Identificando um cat bounce

Distinguir um cat bounce de uma melhora ou inversão de tendência verdadeira pode ser complicado até mesmo para investidores experientes.

Algumas pessoas, acreditando que a tendência anterior começou a se reverter, entram aproveitando o preço baixo. O problema é que a quantidade de compras ainda é muito pequena em comparação com as vendas, os entrantes sofrem prejuízo.

Aqui estão algumas perguntas que podem te ajudar a fazer a distinção:

– Por que o preço de determinado ativo está caindo?

– A tendência de queda é observada no mercado ou setor como um todo?

– Algo nos fundamentos mudou? Por exemplo, descobriu-se algo novo sobre empresa? Ela mudou seu foco? No caso de criptomoedas, foram encontradas vulnerabilidades no código, por exemplo?

– Se algo nos fundamentos houver mudado, qual é o impacto disso? Trata-se de um problema de curto prazo ou isso pode ter efeitos mais longos?

  • Bitcointalk.org é um fórum público fundado por Satoshi Nakamoto, o criador do Bitcoin, em 22 de novembro de 2009.

  • Hard fork é uma separação no protocolo de uma blockchain, uma que segue o protocolo anterior e outro que segue a nova versão.

  • AMM é uma sigla para Automated Market Maker, (em português, Criador de Mercado Automatizado). É um “robô” que faz a cotação entre dois ativos

  • Uma altcoin é toda e qualquer moeda que não seja o Bitcoin. "Alt" vem de alternative (que inglês significa alternativo).

  • Day trade é uma estratégia arrojada, consiste em comprar um ativo na baixa e vender na alta no mesmo dia, buscando lucro de curto prazo.

  • Fee

    Fee significa "taxa" em português, no contexto de cripto, são as taxas de transação das criptomoedas.

  • “Pump” é um termo que pode se referir a duas coisas: subida brusca no preço de um ativo ou impulsionamento de um ativo.

  • Bullish vem do termo "bull market", que é usado no mundo financeiro quando o mercado está otimista em relação ao preço dos ativos.

  • Baleia é nada mais do que uma forma de denominar uma pessoa que é dona de uma grande quantia de ativos.

  • TVL

    O Total Value Locked (TVL), ou em português, Valor Total Bloqueado, é a quantidade de fundos que usuários depositaram em uma plataforma DeFi.