Fee

O que é o fee de uma transação em criptomoeda? Ou, em português, a taxa de uma transação?

É o valor pago pelo seu remetente para que ela ocorra.

Por exemplo, Eduardo deseja enviar 3 bitcoins para Rafaela. Então, Eduardo paga uma pequena taxa para que essa transferência seja efetuada.

Isso levanta algumas perguntas: para quem vai essa taxa? Quanto custa fazer uma transação? Por que essas taxas existem?

Para obter as respostas, vamos entender um pouco mais sobre blockchain.

Blockchain do Bitcoin e a taxa como “salário” pela mineração

Sempre que alguém inicia uma transação de Bitcoin, ela é “colocada em uma bloco” junto com algumas outras.

Então, um validador, também chamado de mineiro, vai verificar se todas as transações contidas no bloco são idôneas. Na verdade, mais que um mineiro vai fazer isso até o final do processo.

Se tudo estiver certo, o bloco será finalmente adicionado a uma “corrente de blocos” – daí o nome blockchain.

Só que esse processo, apelidado de mineração, não é simples. Parte dele envolve a resolução de problemas matemáticos, e o primeiro que dá a resposta correta ganha bitcoins recém-criados e também recebe as taxas pagas pelos remetentes das transações “contidas no bloco”.

Ser o primeiro nessa corrida pela resposta correta não é fácil com a competição atual, o que “força” os mineiros a investir em equipamentos que aumentam seu poder de computação. Além do mais, eles prestam um serviço vital ao Bitcoin e merecem receber algo em troca. Sem eles, nenhuma transação seria concluída.

Como é calculado o valor das taxas de transação?

Na realidade, no que diz respeito ao Bitcoin, não é obrigatório adicionar uma taxa a transação. Entretanto, os mineiros também não são obrigados a incluir qualquer transação no bloco que eles estão confirmando.

Os mineiros priorizam, portanto, as transações com a maior taxa por byte. É por isso que os remetentes que estão com pressa tendem a pagar uma taxa mais alta para empurrar suas transações para a frente da fila.

Pague a taxa mais alta possível e sua transação deverá ser confirmada dentro do próximo bloco, o que levará em média entre 5 e 15 minutos. Pague taxas mais baixas e sua transação deverá ser confirmada dentro dos próximos três blocos, o que geralmente levará entre 10 e 30 minutos.

Mas todas as criptomoedas funcionam assim? Não. Cada uma tem suas peculiaridades, e algumas nem utilizam a blockchain. A Nano, por exemplo, não possui taxas.

 

  • AMM é uma sigla para Automated Market Maker, (em português, Criador de Mercado Automatizado). É um “robô” que faz a cotação entre dois ativos

  • Vitalik Buterin é co-criador e inventor da Ethereum, a 2° maior criptomoeda do mundo em termos de capitalização de mercado.

  • BTFD vem do inglês "Buy the F*cking Dip". É basicamente uma forma agressiva de recomendação de compra quando o mercado está em queda.

  • Um token é uma criptomoeda criada dentro de uma blockchain já existente. Diversos ativos pode ser tokenizados: ações, arte e muito mais.

  • O BEP-20 é o padrão de token da Binance Smart Chain. Na BSC, pode-se desenvolver Dapps, assim como os ERC-20, no caso da Ethereum.

  • A hash rate, também conhecida como hash power, é parte fundamental de qualquer cripto que possui consenso de proof-of-work, como o Bitcoin.

  • Um application-specific integrated circuit (ASIC), que quer dizer circuito integrado específico de aplicação (ASIC), é um hardware, um equipamento, projetado para a mineração de uma criptomoeda.

  • Um hash é conhecido como uma função que transforma dados de tamanho arbitrários para dados de tamanho fixo e menores.

  • Gwei é uma unidade de medida da Ethereum. Representa uma pequena quantidade do ativo e é usada para pagar as taxas de transação da rede.

  • Proof of Stake (PoS), ou “Prova de Participação”, é o nome dado a um mecanismo de consenso utilizado na validação de transações.