SegWit (Testemunha Segregada )

Testemunha Segregada (SegWit) refere-se a uma mudança, uma atualização, na maneira como as transações de Bitcoin são feitas.

O SegWit foi ativado no bitcoin em 23 de Agosto de 2017 e seu objetivo é deixar as transações mais rápidas e mais baratas. Para entender como ele funciona, é preciso entender como transações de Bitcoin funcionam.

Várias transações são computadas em um bloco até que ele chegue em um tamanho específico (atualmente cerca de 1 megabyte), em seguida o bloco é “selado” com um identificador. Na ciência da computação, isso é chamado de hash.

Em seguida, se tudo estiver certo, o bloco é confirmado e adicionado a “corrente de blocos” e a transação é dada como completa. É daí que vem o nome “blockchain” ou “corrente de blocos”.

Imagine o seguinte: você escreve uma carta com uma instrução (“enviar 1 Bitcoin da carteira A, da qual sou dono, para a carteira B”). Só que os carteiros juntam um malote de cartas ao invés de cuidar de uma por vez. Quando o malote está cheio o suficiente, ele é averiguado, as cartas são enviadas e as ordens executadas.

A proposta do SegWit para acelerar as transações

Obviamente, a existência de um tamanho máximo para os blocos e a necessidade de confirmar cada um deles antes de colocá-los na “corrente” acabam causando um limite no número transações que podem ser efetuadas dentro de um espaço de tempo. Em alguns casos, chegou a levar horas para confirmar a validade de uma transação.

Bom, mas como, no exemplo das cartas com instruções, é possível saber que foi você mesmo, dono da carteira A, que deu a ordem?

Através da chave-privada: um código ao qual só o dono da carteira deve ter acesso. Você pode pensar nela como se fosse um carimbo oficial.

Obviamente, não é a sua chave privada que vai aparecer registrada na blockchain. Para realizar uma transação, cria-se uma assinatura digital (witness signature, ou “assinatura de testemunha”) baseada na chave privada.

Segregar significa remover ou separar, então SegWit significa literalmente remover os dados da “assinatura de testemunha” e colocá-los em uma sidechain, onde são armazenados longe do blockchain principal.

Como a quantidade de dados armazenados por transação diminui, o SegWit apresenta-se como uma solução que aumenta a quantidade de transações que cabem em um bloco e a velocidade com que são computadas.

  • Uma wallet (em português, carteira) é um software ou hardware que permite armazenar criptomoedas de forma segura.

  • Uma Cold Wallet é um carteira que serve para guardar criptomoedas de maneira offline, ou seja, sem estar conectado a internet. É mais segura que as demais carteiras.

  • Cat bounce (“quique do gato”) é o nome dado a pequenas “subidas” no preço dos ativos mesmo que, no panorama geral, estejam se desvalorizando.

  • Cold storage, ou armazenamento frio em português, é um termo usado para descrever sistemas de armazenamento de criptomoedas off-line.

  • DYOR vem do inglês "do your own research", ou seja, faça sua própria pesquisa. É muito usado por usuários de cripto.

  • ATH é uma abreviação para o termo "All Time High", que é o preço mais alto que um ativo já chegou em seu histórico.

  • Mixer é um serviço que embaralha as criptomoedas de um usuário com a de outros, dificultando seu rastreamento. Usado para aumentar privacidade.

  • Um Node na rede do Bitcoin é um computador conectado a blockchain e que verifica e valida as novas transações, sempre que elas acontecem.

  • Blockchain é um registro aberto (todos podem conferir) e imutável de dados, os quais podem ou não incluir transações.

  • Slippage é quando você não consegue executar uma compra pelo preço que pretendia e a compra acaba saindo mais cara que o esperado.