UTXO

A sigla UTXO significa Unspent Transaction Output (Transação de Saída Não Gasta) e se refere a um modelo utilizado por várias criptomoedas baseadas em blockchain, sendo uma delas o próprio Bitcoin.

Sua principal função é garantir que transferência de valores entre carteiras seja feita de forma idônea.

É preciso enfatizar que nem toda cripto usa esse modelo. A Nano, por exemplo, tem um sistema bem diferente.

Como o modelo funciona?

UTXO também é o nome dado ao depósito que um usuário recebe em sua carteira.

Suponha que você tenha recebido duas transferências: uma de 60 bitcoins e outra de 40 bitcoins, totalizando 100 unidades. Podemos dizer que você possui dois UTXOs: um de 60 e outro de 40.

Agora, pense em cada um desses UTXOs como um cheque.

Suponha que você queira transferir 80 bitcoins para André para pagar por um item. Se você mandasse para ele os dois cheques que você tem, ele teria que dar um troco de 20, certo? E você não pode “rasgar” o cheque de 60 em três partes de 20 para combinar duas delas com o cheque de 40 e pagar exatamente 80.

No mundo físico, vamos ao banco, transformamos o cheque em reais na nossa conta e depois enviamos a quantia correta para André. E na blockchain do Bitcoin?

Quando você for transferir para André, a rede cria uma nova UTXO, dizendo que você vai transferir 80 bitcoins pra Charlie, linkando aquelas 2 UTXO que você recebeu e reenvia os 20 para você mesmo.

Claro, somente você conseguiria “resgatar” esses 20 pois eles estavam destinados na sua chave pública.

A composição de uma transferência

Toda transação na blockchain do Bitcoin é composta por uma entrada (input) e duas saídas (outputs).

A entrada é o dinheiro que utilizamos para fazer a transação, uma saída é o valor enviado para o destinatário e a outra saída é a devolução do excedente.

Por exemplo, imagine que Mariana tem 10 bitcoins em sua carteira e deseja enviar 3 para João: 10 é o input, 3 é uma das saídas mencionadas e 7 é a outra.

Ou seja, é através do modelo UTXO que os usuários conseguem receber o “troco” de suas transferências.

As utilidades e objetivos do modelo

O modelo UTXO:

– Permite que a rede saiba em quais carteiras estão cada uma das unidades de bitcoin existentes

– Faz com que as unidades que estão comprometidas, ou seja, já foi dada a ordem para que sejam transferidas para uma determinada carteira, não possam ser enviadas para outra carteira enquanto a transferência está sendo analisada e adicionada a blockchain.

– Permite que os usuários possam enviar e receber quantias diversas, não é necessário enviar “o cheque inteiro”, como no exemplo mencionado.

  • O soft fork é uma mudança no protocolo de uma criptomoeda que é compatível com versões anteriores. Usualmente são alterações simples.

  • Vitalik Buterin é co-criador e inventor da Ethereum, a 2° maior criptomoeda do mundo em termos de capitalização de mercado.

  • Cold storage, ou armazenamento frio em português, é um termo usado para descrever sistemas de armazenamento de criptomoedas off-line.

  • A hash rate, também conhecida como hash power, é parte fundamental de qualquer cripto que possui consenso de proof-of-work, como o Bitcoin.

  • Dump, ou despejo em português, é um termo usado para designar uma queda abrupta no preço de um ativo

  • Em criptomoedas, fork é uma atualização no protocolo de um moeda. No inglês, o significado é "bifurcação" e é exatamente isso que acontece.

  • Bag holder é um termo usado para definir alguém que manteve um ativo ao longo do tempo apesar da desvalorização constante de seu preço

  • Um ICO é, traduzido para o português, como oferta inicial de moeda. É um meio alternativo de arrecadar fundos através do mercado de cripto.

  • Cat bounce (“quique do gato”) é o nome dado a pequenas “subidas” no preço dos ativos mesmo que, no panorama geral, estejam se desvalorizando.

  • As block rewards (recompensas de bloco) são as unidades de moeda criptográfica ganhas por validadores por seu trabalho em uma blockchain.