Já pensou você não precisar mais depender das grandes empresas de streaming para poder assistir vídeos em boa qualidade? Pois é exatamente essa lógica que a Theta tem.

Baseada num protocolo de código aberto, a blockchain Theta alimenta uma rede de streaming de maneira descentralizada. Com a ajuda de validadores dentro dessa rede de distribuição, incluindo grandes nomes do mercado, como o Google e o YouTube, a plataforma cresceu mais de 17.000% em 2020, atingindo um valor de mercado de US$ 13,2 bilhões.

No texto de hoje, nós vamos explicar tudo o que você precisa saber sobre a Theta e também sobre sua criptomoeda nativa, a THETA. Já adiantamos que o ativo é muito promissor e que, inclusive, já listamos ele em um de nossos textos, conforme você pode conferir aqui

Acompanhe a leitura junto da gente e fique por dentro de mais esse criptoativo.

O que é Theta (THETA)?

Desenvolvido para resolver um grande problema que existe na internet, a distribuição de vídeos, a Theta nada mais é que uma plataforma alimentada por uma blockchain capaz de distribuir um serviço de streaming de um jeito melhor e mais rápido.

Distribuidores como Netflix ou Amazon possuem servidores extremamente caros para conseguir manter a qualidade de seus vídeos. No entanto, muitas pessoas não possuem uma internet adequada para acessar esses servidores, o que resulta numa entrega extremamente ruim. Foi nesse contexto que a Theta surgiu.

Hoje, as pessoas precisam, obrigatoriamente, buscar vídeos em um servidor que está longe geograficamente; com a Theta, esses servidores estão muito mais próximos, disponibilizando sua banda e diminuindo, assim, os casos de oscilação na qualidade.

Cada servidor desses é representado por um tipo de validador e, em troca da banda de internet cedida, os usuários ganham criptomoedas.

Como funciona a Theta?

Para que a Theta funcione, duas partes precisam estar interligadas e em plena sincronia.

Blockchain

O principal objetivo da blockchain Theta é funcionar como múltiplas camadas de consenso para pagamentos e recompensas dentro do ecossistema. Atualmente, ela permite milhares de transações por segundo e uma alta segurança para os usuários.

Além disso, a rede também possibilita que seus usuários implementem seus DApps ali, uma vez que ela possui código aberto.

Rede de distribuição

Responsáveis por distribuir suas bandas de internet, bem como o conteúdo disponível para streaming, a rede de distribuição da Theta é composta por 3 tipos de validadores:

1. Profissionais: as grandes empresas que entraram como parceiras da Theta são os primeiros validadores de blocos na blockchain. Dentre eles estão Samsung, Google, Gumi e Sony.

2. Guardiões: caso você tenha um valor de 1.000 THETA, você pode virar um guardião da rede e ficar responsável por confirmar as transações validadas pelos profissionais. Ao fazer isso, você recebe como recompensa uma cripto chamada TFUEL.

3. Edge Nodes: usados por streamers e pessoas com bandas de internet disponíveis, os edges nodes são nós que ajudam na distribuição de conteúdo em troca de criptomoedas.

Como e quem criou a Theta (THETA)?

A Theta foi criada em 2018 por dois grandes profissionais do ramo de jogos: Mitch Liu e Jieyi Long 一 e talvez seja por conta dessa vasta experiência que a plataforma chamou tanto a atenção das pessoas.

Além de sua própria equipe, a Theta também conta com uma lista de conselheiros, como Steve Chen (cofundador do YouTube) e Justin Kan (cofundador da Twitch)

O que diferencia a Theta (THETA)?

Como o conceito principal da Theta é descentralizar a estrutura de streaming de vídeo, tornando-a mais eficiente aos usuários, pode-se dizer que esse é seu principal diferencial perante os demais ativos digitais.

Executada em um blockchain, a Theta tem código aberto, o que permite que os desenvolvedores lancem aplicativos descentralizados (DApps), além de dar poder de governança a quem seja titular de seus tokens.

Quantas Theta (THETA) existem em circulação?

A Theta possui 3 tokens, sendo eles:

1. THETA: limitada a 1 bilhão de unidades, as moedas THETA são distribuídas em diferentes proporções entre todos os usuários da rede. Além disso, elas também são voltadas para a equipe da rede, uma reserva de mineração e também para outras reservas nativas.

2. TFUEL: com um funcionamento muito próximo do gás do Ethereum, o TFUEL serve para recompensar aqueles que ajudam na validação dos dados dentro da rede de distribuição. Sua quantidade total é de 5 bilhões de tokens.

3. Gamma: existe apenas para fins de governança. A cada 1 THETA existente, 5 Gamma são emitidos.

Quem já investe em Theta?

Ao acessar o site da Theta, é possível conferir todas as empresas que, de alguma forma, estão junto dela para fazer o projeto acontecer.

Dentre elas, encontram-se grandes nomes do mercado de investimento, blockchain e entretenimento, tais como:

– Sierra Ventures;

– Samsung;

– Sony Innovation Fund;

– Steve Chen (cofundador do YouTube);

– Dovey Wan (cofundadora da Primitive Ventures);

– Travis Skweres (criador da primeira exchange de Bitcoin dos Estados Unidos);

– Nasa;

Chainlink;

– MGM.

A Theta (THETA) é Segura?

Por trabalhar com um esquema de incentivo financeiro, a Theta faz com que os próprios usuários da rede garantam a segurança nas atividades de governança. 

A forma de funcionamento da blockchain é via proof-of-stake (PoS) e, além desse método, também há um mecanismo de consenso multinível de Byzantine Fault Tolerance (BFT) para proporcionar ainda mais segurança ao rendimento das taxas das transações.

Fora todas essas questões, com o lançamento dos validadores “Guardiões”, em 2019, a Theta também garante que nenhuma instituição vai poder controlar sozinha os tokens THETA em staking ao mesmo tempo, ação que proporciona maior distribuição das recompensas entre os usuários.

Vale a pena investir em Theta?

Nos últimos 12 meses, a Theta teve uma valorização de exatos 17.178,06% sem sequer ter a sua cripto nativa, a THETA, listada em boa parte das exchanges do mundo 一 o que significa que algo de bom existe ali.

Segundo Wes Levitt, chefe de estratégia do projeto, um crescimento maior ainda está por vir, visto que a Theta atingiu um tipo de ponto de inflexão e que isso está chamando a atenção das pessoas, fazendo com que elas prestem mais atenção no ativo e, consequentemente, invistam nele.

Onde comprar Theta (THETA)?

THETA é o token principal da plataforma Theta e, hoje, ele é comercializado em várias exchanges de criptomoedas, incluindo a Monnos.

Se você busca uma maneira fácil de comprar e vender criptos, nós somos o melhor lugar para isso. Além de possuir o maior portfólio de criptomoedas do Brasil, também trabalhamos de forma bastante simplificada, o que permite que você tenha maior autonomia sobre suas finanças.

Para começar a negociar hoje mesmo junto da gente, basta baixar o nosso aplicativo e fazer o seu primeiro depósito.

Como guardar Theta (TETHA)?

Você pode guardar suas moedas THETA em qualquer carteira que suporte o padrão de tokens ERC-20, podendo ser a da própria plataforma ou em qualquer outra que tenha integração com ela, como a Trezor ou a Ledger.

Quanto vale Theta (THETA)?

Com classificação #19 no CoinMarketCap, a THETA encontra-se, neste momento, num valor de R$ 30,53.

Conclusão

A tecnologia blockchain pode auxiliar diferentes soluções do mercado, inclusive quando se trata de streaming de vídeos. 

Por unir um bom objetivo e bons parceiros, a Theta tem tudo para crescer muito mais do que já cresceu até aqui. E todas as novidades referentes ao projeto você pode conferir aqui na Monnos, seja em nosso blog ou em nossas redes sociais, como o Twitter e o LinkedIn.

Por isso, fique de olho!