Hot Wallet

De forma simplificada, uma hot wallet, ou “carteira quente”, é uma carteira conectada a internet.

Isso ainda pode gerar dúvidas. Afinal, o que é uma carteira? E uma chave privada?

A carteira pode ser comparada a sua conta bancária. É o “local” onde estão armazenados seus ativos digitais, como Bitcoin ou outra criptomoeda. A chave privada é como se fosse a senha do banco.

A carteira digital é um sistema que utiliza criptografia para criar um par de chaves criptográficas correspondentes: uma pública e uma privada.

A chave privada é um conjunto de números e letras ou de palavras, um código, que te dá acesso às suas criptomoedas. A chave pública, por outro lado, é usada para receber transações. É comparável às informações que você passa para uma pessoa para que ela possa transferir dinheiro para sua conta.

No que diz respeito ao seu dia a dia, é importante saber o seguinte:

– Como citado, uma chave privada é um código mediante o qual você tem acesso aos seus ativos digitais. Sem código, sem acesso aos ativos – portanto, guarde-a em segurança.

– Existem várias maneiras de armazenar uma chave privada. Alguns aplicativos fazem isso, mas você também pode escrever o código em uma pedaço de papel e depois fazer cópias para backup. Nesse último caso, como o papel obviamente não tem acesso a internet, trata-se de uma carteira fria (cold wallet).

Desvantagens da Hot Wallet

Como hot wallets estão conectadas a internet e a pelo menos uma blockchain específica, elas têm certas desvantagens.

O risco mais obvio é o roubo. Carteiras quentes armazenam suas chaves particulares na web, por tanto geralmente é mais fácil para um hacker ter acesso a elas, em comparação com as carteiras frias, que fazem o armazenamento offline.

Vantagens da Hot Wallet

É mais fácil enviar e receber fundos usando uma carteira quente justamente por ela estar online.

Muitos investidores comparam hot wallets com a conta corrente e cold wallets com a poupança. Isso se deve ao fato de que eles costumam deixar uma quantia menor, mas que pretendem usar, na hot wallet, e uma quantia maior, mas que não tem intenção de usar num futuro próximo, na cold wallet.

É importante frisar que o processo de criação de carteiras e chaves privadas na blockchain é seguro. Quaisquer fragilidades estão em fatores externos, como armazenamento do código em um local inapropriado ou utilização de aparelhos infectados com vírus.

 

  • Um token é uma criptomoeda criada dentro de uma blockchain já existente. Diversos ativos pode ser tokenizados: ações, arte e muito mais.

  • “Pump” é um termo que pode se referir a duas coisas: subida brusca no preço de um ativo ou impulsionamento de um ativo.

  • Market cap é a quantidade de dinheiro que custaria para comprar todas as unidades existentes de um determinado ativo.

  • Um único bitcoin pode ser dividido, assim como o dólar ou o real, e a menor unidade é chamada de satoshi.

  • Cat bounce (“quique do gato”) é o nome dado a pequenas “subidas” no preço dos ativos mesmo que, no panorama geral, estejam se desvalorizando.

  • P2P (peer-to-peer) no contexto de cripto, trata-se de transações entre dois indivíduos sem um intermediário, como uma corretora, por exemplo.

  • Um Utility Token da ao usuário algum tipo de utilidade prática ao obtê-lo: descontos ou benefícios, acesso exclusivo a um produto, etc.

  • Day trade é uma estratégia arrojada, consiste em comprar um ativo na baixa e vender na alta no mesmo dia, buscando lucro de curto prazo.

  • Cold storage, ou armazenamento frio em português, é um termo usado para descrever sistemas de armazenamento de criptomoedas off-line.

  • ATH é uma abreviação para o termo "All Time High", que é o preço mais alto que um ativo já chegou em seu histórico.