Manter as suas criptomoedas em segurança é fundamental – afinal, é do seu dinheiro que estamos falando. Por isso, para que isso aconteça, é muito importante ter suas chaves privadas muito bem guardadas.

A chave privada é como se fosse uma senha de acesso para as suas criptomoedas que estão na blockchain, e normalmente são acessados por uma uma carteira digital, seja ela quente ou fria. 

Hoje em dia, existem diferentes tipos de carteiras disponíveis no mercado cripto e as mais indicadas são aquelas que não são conectadas à internet, por evitarem falhas de segurança e um possível ataque de hackers.

Dentre essas carteiras offline (também chamadas de carteira fria ou cold wallet), está a paper wallet, uma maneira segura de armazenar grandes quantidades. Porém, mesmo assim, algumas considerações precisam ser seguidas para que essa carteira seja, de fato, segura.

E no artigo de hoje, nós vamos te explicar detalhadamente sobre isso. Acompanhe!

O que é paper wallet?

Paper wallet, em sua tradução, significa carteira de papel. Ela é, basicamente, uma forma de guardar criptomoedas de maneira impressa ou escrita, seja num papel ou em outro material.

Uma carteira desse tipo pode ser criada para as principais criptomoedas existentes, desde que elas possuam uma chave privada para acesso à blockchain da mesma. Atualmente, quase todas as moedas digitais permitem a criação de uma paper wallet.

O funcionamento de uma paper wallet se dá fora da internet e tem como principal objetivo armazenar valores que não sejam movimentados de maneira constante, pois quando a conexão com a web é ativada, os fundos ficam mais vulneráveis e podem ser roubados.

Características das carteiras de papel

Uma paper wallet, em sua maioria, é gerada por ferramentas já existentes de código aberto, assim toda a comunidade pode auditar seu código para que não haja nenhum tipo de fraude em sua geração. 

Além disso, por ser um meio de armazenamento de criptomoedas, bem como uma forma de transacionar ativos entre uma carteira e outra, ela também possui uma chave pública e outra privada.

Quando criada, a paper wallet gera uma chave privada, que não deve ser compartilhada com ninguém. 

Após isso, o usuário deve transferir suas moedas para essa chave pública criada e, caso alguma precise ser removida, a conexão com a internet se faz necessária ao inserir a chave privada em alguma carteira digital para realizar a transferência dos ativos.

Como fazer uma paper wallet?

Existem diversas maneiras de se armazenar criptomoedas – sendo a mais usual as carteiras, ferramentas on ou offline criadas pela comunidade de cada criptomoeda.

Quando se opta por ter uma carteira de papel, você mesmo a cria a partir de um programa. Geralmente, ela vai contar com um QR código para que você possa digitalizá-la e, assim, adicionar as chaves em outra carteira para que uma transação seja feita.

É importante ter em mente que, para cada cripto, uma carteira precisa existir.

Veja abaixo algumas opções de paper wallets:

BitAdress

Carteira para armazenar Bitcoins, a BitAddress possibilita a criação de diferentes tipos de carteiras, incluindo uma Brain Wallet, uma paper wallet onde o usuário pode guardar uma frase em sua memória, ao invés de imprimir a carteira com a chave privada.

LiteAddress

Com um funcionamento muito próximo ao anterior, a LiteAddress é uma carteira focada no armazenamento de Litecoin. Seus procedimentos de segurança precisam ser adotados para que a carteira esteja sempre livre de qualquer tipo de risco.

MyEtherWallet

Para quem possui moedas Ethereum, também existe uma maneira de criar uma paper wallet para armazená-las. Com o MyEtherWallet, além da carteira de papel, você também tem acesso a outros formatos de carteira.

Considerações sobre a paper wallet

Por muitos anos, a paper wallet foi considerada a carteira mais segura entre todas, mas com o passar do tempo, ela foi caindo em desuso. Isso se deve a alguns motivos, os quais vamos conhecer logo abaixo:

Segurança do dispositivo

Mesmo que uma paper wallet seja um dos meios mais seguros de guardar seus ativos, algumas medidas precisam ser tomadas para que a segurança não seja comprometida.

Em primeiro lugar, é muito importante que o dispositivo onde você vai inserir a sua chave privada esteja livre de vírus e malware. Além disso, certifique-se, também, de que o dispositivo esteja completamente offline, sem cabo de internet, wifi ou bluetooth.

Isso faz com que seu dispositivo não fique vulnerável a ataques remotos.

Impressão

Qualquer problema na impressão da sua paper wallet pode fazer com que você tenha problemas para acessar suas criptomoedas. Situações como manchas de tinta ou atolamento de papel no equipamento podem virar uma grande dor de cabeça ao usuário.

Então, se você for imprimir a sua carteira, verifique se a impressora está funcionando bem e se a tinta é boa, ou seja, não borra nem desbota.

Ademais, não utilize nenhuma impressora que esteja conectada a uma rede, seja ela pública ou privada, pois a impressão deixa vestígios na rede.

Armazenamento físico

Uma vez impressa, sua paper wallet precisa ser bem guardada em um local seguro. Considere um cofre, à prova de fogo ou água, ou até mesmo um cofre dentro de uma instituição financeira.

Lembre que por se tratar de um pedaço ou folha de papel, a paper wallet pode ter sua tinta apagada com o decorrer do tempo, ser rasgada, molhada, queimada e até consumida por animais como traças. 

A recomendação é que se tenha 2 cópias em lugares de diferente acesso, caso, por ventura, aconteça algo que danifique uma das cópias.

Uma paper wallet é uma cold wallet?

Por não serem conectadas à internet, a paper wallet é considerada, também, uma cold wallet.

Indicadas para armazenar uma grande quantia de criptomoedas que não serão movimentadas constantemente, as cold wallets são as mais seguras para o usuário, pois evita muito mais o risco de ataques de hackers ou alguma eventual falha de sistema.

Conclusão

A partir do momento que você começa a investir em criptomoedas, preocupar-se com a segurança torna-se imprescindível. Por isso, a melhor opção é armazenar seus fundos em uma carteira confiável e, de preferência, que não tenha acesso à internet, como as paper wallets.

Caso você utilize a carteira de uma exchange, considere criar uma própria para você, pois lembre-se: suas chaves, suas criptos. E no caso das exchanges, as chaves estão em posse delas.

Posts Relacionados

O que é Staking e como funciona?

Já pensou em ganhar recompensas por armazenar suas criptomoedas? Staking permite isto e vamos te explicar tudo o que você...