Há cerca de 10 anos, falar de criptoativos era coisa de pessoas jovens e antenadas nas novidades da tecnologia. Porém, hoje, esses ativos chamam a atenção de muito mais gente.

Para exemplificar, tomemos como exemplo o Bitcoin. Temos certeza que mesmo quem não conhece muito do mundo dos investimentos já ouviu falar nessa moeda digital – e não é para menos, pois quando ela surgiu, foi capaz de modificar bastante a forma de lidar com o dinheiro.

Diante da alta valorização não só do Bitcoin mas de tantas outras criptomoedas, perguntar-se sobre o que são os tais dos criptoativos já é algo bastante recorrente. Além do mais, como são ativos muito procurados na hora de investir, é sempre importante conhecer mais a fundo sobre eles, bem como saber em qual vale a pena (ou não) injetar suas finanças.

Para sanar todas essas dúvidas, preparamos este texto bem completo sobre o assunto. Acompanhe!

O que são Criptoativos?

Como o próprio nome já sugere, criptoativos são ativos digitais transacionados no meio eletrônico através da tecnologia criptográfica. Assim como os demais ativos, esses também servem para investir e especular no mercado financeiro, assim como para acessar determinados tipos de serviços.

Um dos grandes pontos dos criptoativos é a sua descentralização, ou seja, não possuem nenhum tipo de órgão regulador por trás, como é o caso das moedas fiduciárias, por exemplo. Sendo assim, cada ativo tem o seu valor, o qual pode modificar rapidamente devido à lei da oferta e da procura.

Mesmo diante de todas essas características, a Receita Federal não considera um criptoativo como uma moeda de curso legal. Em outras palavras, eles não servem para quitar dívidas ou qualquer outras contas que uma pessoa possa ter.

Qual a diferença entre criptomoeda e criptoativos?

No universo criptográfico, existem muitas nomenclaturas – e várias delas podem confundir o usuário. Por isso, é muito importante entender qual é a diferença entre um criptoativo e uma criptomoeda.

Antes de tudo, é sempre bom ter em mente que toda criptomoeda será, obrigatoriamente, um criptoativo, porém nem todo criptoativo será uma criptomoeda.

Veja abaixo mais detalhes dessa diferença:

Criptoativos

Chamado de cryptoasset em inglês, um criptoativo é um ativo que possui uma utilidade específica em uma plataforma. Portanto, ele pode ser definido como algo mais geral e que engloba diversos itens, como criptomoedas, tokens, blockchains, etc.

Criptomoedas

As criptomoedas, ou cryptocurrency, são moedas digitais e criptografadas – sendo assim, são únicas, transferíveis e não divisíveis. São utilizadas para pagamentos e transações financeiras realizadas de maneira virtual.

Cada transação feita com uma criptomoeda possui uma assinatura eletrônica que identifica quem enviou, para quem está enviando e qual o valor que está sendo enviado. Todo o processo ocorre em uma blockchain, sistema que garante o armazenamento de todos esses dados envolvidos, proporcionando transparência e segurança a ambas as partes.

Como funcionam os Criptoativos?

Cada criptoativo existente possui suas próprias regras de funcionamento, definidas pelos criadores, desenvolvedores ou comunidades. Logo, não existe um conjunto de regras específico que todos os criptoativos devem seguir.

Basicamente, o funcionamento dessa categoria de ativos tem como base 3 pontos:

Descentralização

Como os criptoativos não são regulados por um órgão central, todas as transações realizadas são de maneira descentralizada – ou seja, elas são registradas por uma rede de computadores espalhados em todo o mundo.

Quando uma transação é feita, ela é divulgada para toda essa rede, e só depois de ser validada por um conjunto de participantes é que será aceita. Isso faz com que a margem de fraudes seja pequena.

Blockchain

Para que os criptoativos funcionem corretamente, uma tecnologia de base precisa existir – e a mais conhecida é a blockchain.

Na blockchain, as transações são agrupadas e registradas em blocos, o que resulta em uma sequência de blocos – daí vem o seu nome, que significa cadeia de blocos.

Ademais, todas as transações realizadas por meio dessa tecnologia ficam registradas, o que garante a transparência de todas elas e a impossibilidade de serem revertidas.

Anonimato

No sistema monetário tradicional, quando se utiliza um cartão de crédito ou uma transferência bancária, todo o movimento  financeiro possui registro em alguma instituição. Isso significa que o regulador tem registro de toda sua movimentação financeira.

Nas criptomoedas também existe um registro, mas funciona de um jeito diferente. Vamos a um exemplo: cada transação de Bitcoin é registrada na blockchain, tecnologia transparente e que pode ser consultada por qualquer usuário, porém essas transações e carteiras não possuem um identificador de quem é seu dono, possibilitando um grau de anonimato.

No mundo criptográfico, o detentor de um criptoativo é aquele que possui uma chave privada que dá acesso à carteira. Por isso, é muito importante que ela permaneça muito bem guardada, a fim de evitar roubos.

Quantos Criptoativos existem?

Atualmente, existem muitos tipos de criptoativos e cada um deles é agrupado de acordo com suas características. Alguns exemplos de criptoativos são fan tokens, criptomoedas, NFTs e vários outros.

Como um ativo desses pode ser criado por qualquer pessoa que tenha conhecimento sobre a tecnologia blockchain, é impossível afirmar quantos criptoativos existem, visto que novas opções surgem a todo momento.

Mas caso você queira ficar por dentro de todas as novidades, a melhor forma para isso é acompanhar o nosso blog.

Quais os principais Criptoativos?

Como já comentamos, existem vários tipos de criptoativos no mercado.

Conheça alguns deles:

Criptomoedas

Tipo mais conhecido de criptoativo, a criptomoeda é uma moeda digital usada para pagar produtos ou serviços ou, ainda, para investir.

NFTs

Sigla para tokens não-fungíveis, os NFTs são ativos digitais exclusivos, ou seja, ao contrário dos tokens fungíveis, eles não possuem um valor pré-determinado.

No mercado criptográfico, os NFTs são únicos e o seu proprietário possui um certificado digital de propriedade.

Dentre as coleções mais famosas desses ativos está a dos CryptoPunks e Bored Ape Yatch Club.

Stablecoins

Moedas digitais lastreadas ou não em outros ativos, as stablecoins são um tipo de criptoativo estável, visto que são pareadas no valor de moedas fiduciárias (como dólar ou euro) ou commodities (como o ouro).

Dois exemplos de stablecoins são o Tether e a PaxGold.

Finanças descentralizadas (DeFi)

As finanças descentralizadas, ou DeFi, são serviços financeiros que funcionam em blockchains – principalmente a Ethereum.

Com as DeFi, você pode fazer o que normalmente se faz em instituições bancárias tradicionais, como empréstimos, negociação de ativos, obtenção de juros, etc., só que de forma bem menos burocrática.

Quem pode investir em Criptoativos?

Qualquer pessoa pode investir em criptoativos, mas, assim como nos investimentos tradicionais, é preciso muito estudo e cautela antes de comprometer o seu dinheiro.

Para investidores iniciantes nessa área, é sugerido que comecem com valores menores, pois o mercado de criptoativos é bastante volátil, isto é, é muito fácil ganhar dinheiro, mas também é muito fácil perdê-lo.

Antes de tomar qualquer decisão, é fundamental que o investidor saiba quais são seus objetivos e suas expectativas com os criptoativos. Dessa forma, fica muito mais fácil de compreender quais são os melhores para o seu perfil ou não.

E não pense que só porque você já investe em criptomoedas, o investimento nos demais criptoativos serão parecidos. Na verdade, NFTs e DeFi são ativos mais complexos, os quais demandam mais conhecimento para que golpes ou hacks não aconteçam.

Como investir em Criptoativos?

Existem diferentes maneiras de se investir em criptoativos. Veja:

Exchanges

A forma mais comum de se investir em criptoativos é por meio das exchanges. Através delas, você consegue comprar e vender ativos de maneira rápida, simples e fácil – basta apenas fazer um cadastro na que você escolheu e efetuar o pagamento das taxas de saques e transferências.

Fundo de criptomoedas

Outro jeito de investir em criptoativos é através dos fundos de investimentos em criptomoedas. Hoje, no Brasil, existem diversos deles, para iniciantes até investidores mais profissionais. Normalmente, os fundos cobram taxas de administração e de performance.

ETF

As ETFs de criptos são fundos de investimentos negociados como ações em bolsas de valores. Essa é mais uma maneira que você tem em investir em criptoativos, mas para que isso seja bem sucedido, taxas de administração podem ser cobradas.

P2P

As negociações peer-to-peer (ou P2P) são feitas diretamente entre os usuários, sem intermediários. Existem muitas plataformas que você pode encontrar vendedores de criptoativos e, ao contrário das demais opções, as taxas são definidas no momento da negociação e não são fixas.

Quais as vantagens de investir em Criptoativos?

Engana-se quem pensa que criptoativo não traz nenhuma vantagem – na verdade, é justamente o contrário.

Confira a seguir alguns benefícios de se investir nos ativos digitais:

– Potencial de valorização: como os criptoativos pertencem a um mercado especulativo, eles podem gerar muitos lucros aos seus investidores (porém, também pode ocorrer perdas no meio do processo);

– Descentralização: os criptoativos não possuem vínculo com nenhum governo, logo, crises e instabilidades não os afetam diretamente;

– Inexistência de controle cambial: ao contrário das moedas fiduciárias, a única base de oscilação dos criptoativos é a lei da oferta e da demanda.

Quais os riscos dos Criptoativos?

Todo tipo de investimento possui riscos aos seus investidores – e no mercado de criptoativos não é diferente.

Como essa classe de ativos é desconhecida por boa parte da população, é muito fácil que as pessoas caiam em golpes e fraudes. Por isso, todo cuidado é pouco quando se resolve investir em criptoativos.

Confira algumas dicas para você evitar riscos nessa área:

– Desconfie sempre: se alguém chegar para você te oferecendo um criptoativo que tem garantia de valorização dentro de um determinado período, lembre-se que o mercado é volátil e, portanto, não tem garantia certa de lucros;

– Pesquise: antes de apostar seu dinheiro em um determinado criptoativo, verifique quem está por trás dele e se ele é confiável;

– Observe os sites: hoje em dia, é muito fácil criar um site falso para empresas que realmente existem ou, ainda, enviar e-mails em nome delas. Para que nada de ruim aconteça, veja se o endereço virtual é verdadeiro;

– Aplicativos: como muitas pessoas deixam seus criptoativos em carteiras privadas, é comum que elas baixem os seus apps. Por isso, fique de olho para ver se você não está fazendo o download de algum app fraudulento.

Como as operações com Criptoativos são regulamentadas?

Infelizmente, o Brasil ainda não regulamentou os criptoativos. Mesmo assim, existem algumas regras para que eles possam ser utilizados dentro da lei:

– Segundo a Normativa RFB nº 1.888, é obrigatória a prestação de contas de todas as operações que envolvam criptoativos. Caso elas não sejam declaradas, o usuário pode receber uma multa que varia de R$ 100 a 3% do valor da operação;

– De acordo com a mesma normativa, a Receita Federal exige que investidores de criptoativos declarem seus fundos no Imposto de Renda;

– Com relação aos ganhos de capital por meio da negociação de criptoativos, a tributação só ocorre quando as vendas somam mais do que R$ 35 mil no mês;

– Criptoativos que são negociados em fundos de investimentos ou ETFs precisam seguir as regras da Comissão de Valores Mobiliários e demais órgãos do sistema financeiro brasileiro.

Como declarar investimentos em Criptoativos?

Toda pessoa que investe em criptoativos precisa declarar os seus ganhos no Imposto de Renda. Essa declaração precisa ser feita na ficha de “Bens e Direitos”.

Além disso, é preciso se atentar nos quesitos de obrigatoriedade da declaração mensal, que são:

– Quando o limite de R$ 30 mil é excedido no mesmo mês, seja em compra, venda ou permuta, se efetuado em uma exchange internacional;

– Quando feitas em exchanges nacionais, todas as operações precisam ser declaradas independentemente do valor.

Em nosso blog, você pode conferir as informações completas sobre declaração de Bitcoin e NFTs.

Conclusão

Ao decidir por investir em criptoativos, é muito importante que você fique atento às informações referentes a eles. Afinal, assim como você pode ter muito lucro, o prejuízo nesse mercado também existe.

Para que todas as suas negociações sejam feitas com segurança, conte com o apoio da Monnos. Além de você ter disponível mais de 100 opções para negociar, o nosso app é bem intuitivo e simples de usar!

Posts Relacionados

O que são Airdrops?

Você já deve ter ouvido falar desse termo em algum filme ou jogo de guerra, umas caixas caindo de paraquedas...

Assine nossa newsletter e receba os melhores conteúdos sobre cripto semanalmente!

E-mail cadastrado com sucesso!

Erro ao cadastrar e-mail, tente mais tarde.